É assim que vai descobrir música nova

d

A internet tomou conta das nossas vidas. Já pensou como é que, atualmente, toma conhecimento de uma nova música ou banda? Veja a relevância da internet nos seus gostos musicais.

Redes Sociais: Facebook

A sugestão de amigos é a mais óbvia e antiga forma de divulgação e partilha de gostos musicais. Contudo, hoje em dia já não se emprestam CD; em vez disso, envia-se o link para o vídeo da música no Youtube. O que nos leva ao próximo ponto.

Streaming: Youtube, Spotify

dUma pequena funcionalidade do Youtube tem ajudado milhões de pessoas a conhecer novas músicas e novos artistas: as sugestões automáticas. Ao terminar uma música, o Youtube imediatamente “liga” a próxima, com um algoritmo que determina que a próxima seja de algum modo parecida com a anterior, e nos pareça familiar.

Recomendação: Gnoosic

A mesma lógica está na base de serviços como o Gnoosic ou o If You Dig. Coloque algumas preferências musicais, diga o que não gosta ou o que não conhece, e com base no tipo e estilo musical, o serviço dar-lhe-á sugestões. Tal como faria um amigo seu: “se gostas de A, certamente gostarás de B…” Serviços deste género são especialmente utilizados por adolescentes, ávidos por novidades.

Auto-rádio

A rádio subsiste enquanto companheira dos automobilistas. Os tops das rádios mainstream condicionam a música que ouvimos.

Televisão?

Os tempos gloriosos do programa Top+, da RTP, já terminaram. Inclusivamente, os canais de televisão dedicados à música já não têm o fulgor de outros tempos; alguém disse que, depois de “o vídeo ter acabado com as estrelas da rádio” (Video Killed The Radio Star”, The Buggles, 1979), a internet acabou com o “vídeo”, ou seja, com a televisão. Em todo o caso, a TV ainda é influente através de duas formas:

  • Os grandes hits acabam por chegar à televisão, e por essa via às gerações mais antigas ou menos ligadas à internet
  • A publicidade produz os seus próprios hits. Os Dandy Warhols (“Bohemian Like You”, 2002) são conhecidos em Portugal graças a uma operadora de telecomunicações; o mesmo acontece com os Panic is Perfect (“Go Go Go”, 2015).